Páginas

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

BAURU DAS ANÁFORAS






BAURU DAS ANÁFORAS


Bauru dos trens partindo rumo ao infinito
Bauru da cruz que floresceu no descampado
Bauru do sanduíche de Casimiro Pinto
Bauru nascida de um relógio atrasado

Bauru como templo das artes e do conhecimento
Bauru da Baixada do Silvino, do Bosque e do Horto
Bauru das ruas da memória e do esquecimento
Bauru das gabirobas nos campos do aeroporto

Bauru do arco-íris chorando sobre as casas
Bauru ungida com o óleo da copaíba
Bauru da búrica ao sol e da sinuca nas madrugadas
Bauru símbolo simples e completo da vida

Bauru multiplicando as palavras e a paisagem
Bauru dos espantos de Rodrigues de Abreu
Bauru iluminando as coisas e as imagens
Bauru da areia branca como poalha de estrelas




quinta-feira, 7 de agosto de 2014

A MINHA LÍNGUA






 A MINHA LÍNGUA


A minha língua nos teus lábios
Sou um estranho na estrada
As lágrimas da aurora me alucinam

O vermelho das rosas como sangue
O meu coração pulsa
Deus rumoreja na fonte do bosque

Um cachorro vem lamber o sangue do meu peito








terça-feira, 5 de agosto de 2014

EU AMO O AZUL

                                                                                    Clique na foto para ler.











segunda-feira, 4 de agosto de 2014

O POÇO DOS DESEJOS

                                                                             Clique na foto para ler bem o poema.







sexta-feira, 1 de agosto de 2014

A POESIA E AS COISAS



    

                                    A POESIA E AS COISAS


A poesia quer a coisa além da imagem
Vai para a frente da imagem  

O poeta tem o céu como abismo
O silêncio susta a respiração

A poesia é a falta de ar
O poeta é o outro

As coisas quebram o espelho