Páginas

terça-feira, 31 de março de 2009

A teia da aranha










DIANTE DO UMBRAL

Passo a mão pela fronte
E reconheço a noite nos olhos escuros.
Diante do umbral
Com a chave na fechadura

Tenho a dor do homem nos ombros
E sucumbo.
A máquina do mundo gira nos gonzos,
As águas da memória transbordam.

Teço a teia da minha fábula,
Suplico a Deus que me anule.
O pesadelo não termina no labirinto.

Entro e saio do espelho,
Sou sempre outro.
De bruços na metáfora, colho o universo.


O MONUMENTO

Construo um monumento de cristal
Com as minhas mãos nuas.
É ilusório o mundo que conhecemos.
Quem pagará o preço do esquecimento?

Perdido no claustro terrível,
Desenrolo o novelo da pirâmide.
Sou o mesmo sonho desdobrado.
A fonte rumoreja infinitamente.

De quem é essa voz que canta?
Quem toca essa música no labirinto?
Tenho trinta moedas na cintura

E sangro no abismo.
Adivinho nos olhos do falcão
Como é longa a eternidade.


PRIVILÉGIO

As pétalas de uma estrela
caíram no meu jardim

e brilham ainda.

____________________________

O título desta página é A Teia de Aranha justamente para chamar a atenção para as fotos, mais que para os poemas. Fica o dilema: Quem é o autor? A Sônia e eu fotografamos com a mesma máquina, um depois do outro, e no fim fica difícil saber quem fotografou - os nossos estilos (ou falta de, eu diria, no meu caso - mas aí complica), também na fotografia, se parecem. Vamos dizer que a maioria das fotos são da Sônia, que se dedica mais à fotografia que eu, mais preguiçoso.

8 comentários:

Cris Animal disse...

MONUMENTO !!!!!!!!!!!
Li diversas vezes. Fantástico. Que grito é esse que ecoa das suas palavras escritas?
Lindo. Perfeito.

beijo
..............Cris Animal

Mírian Mondon disse...

Ai que vontade de ler, mas agora nao dá tempo vou voltar pode ter certeza.

Tem um COMUNICADO URGENTE no meu blog! Avise seus amigos, estou tentando avisar a todos que me acompanham!

Abraços

Beatriz disse...

Ola Jose.
Lindas as fotos...uma teia faz me lembrar a vida , ao qual nós a vamos tecendo dia a dia...e quem passar irá certamente ficar presa...
a familia...
os amigos...
e até mesmo as pessoas conhecidas...
Seus poemas tb eles lindos, dão vontade de voar...
Parabens. Gostei mesmo muito.
Deixo um beijo e o meu sorriso.
Com carinho.
Bea

hfm disse...

Gostei de conhecer este espaço e estas fotos com autores.

Adriana Godoy disse...

Lindas fotos, lindo tecer sentimentos em versos tão expressivos como esses. Acabamos enredados por suas palavras como insetos na teia. Parabéns pela construção poética. Bj

Ariadne disse...

Caro colega! Você arrebentou nesse post, as teias... só as aranhas tem o mistério, e o poeta a arte do mistério.Essa com toda certeza vou levar para os meus labirintos.
Abraços emaranhados pra você e para Sônia.
A Sônia faz parte de site "olhares.com"? Adoro fotografia. Beijos!

BAR DO BARDO disse...

Tessitura, tecidura... até que os nomes cheguem à teia d'Aracne-Mor.

"A morte não mata o grito e o canto
em seu anseio de infinito."

]boas execuções - com luz[

Manual do Inseguro.com disse...

Diante do Umbral as palavras adquirem intensidade e profundidade à medida que vamos lendo e olha que li várias vezes! Lindo, forte, intenso texto sem perder a delicadeza da poesia.
Adorei suas poesias e te convido a visitar-me no adestradordesentimentos.blogs.sapo.pt
Abraços.