Páginas

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

O menino e o mar

Era o tempo dos mortos.
O mar lançava a noite para a terra.

A praia era um grande cemitério,
os cadáveres de boca aberta à luz das estrelas.

As almas dançavam sob a copa das árvores.

Foi quando se ouviu o choro fraco de um menino.
Dentro de uma concha, como uma pérola negra,

um menino dizia que a vida, como o mar, sempre recomeçava.

Nenhum comentário: